Percurso Museológico


Constitui uma preocupação constante da Santa Casa da Misericórdia de Guimarães a conservação e a valorização do seu património artístico e cultural.

Com essa intenção, foi elaborado um projecto de restauro e requalificação de parte do edifício do seu antigo hospital e de outros bens patrimoniais aí existentes, que se consubstanciou na abertura ao público do Percurso Museológico no Convento de Santo António dos Capuchos.

Durante a fase de instalação do Percurso Museológico foi recuperada a sacristia do séc. XVIII sendo intervencionados a talha, o mobiliário, a pintura e os azulejos; as pinturas sobre madeira da igreja; o órgão de tubos ibérico; o coro alto e os cadeirais. Foi um trabalho rigoroso, feito por profissionais qualificados.

A recuperação incidiu ainda sobre os antigos corredores hospitalares, o claustro e os espaços anexos, permitindo uma aproximação ao edifício projectado pelo arquitecto José Luís Nogueira na segunda metade do século XIX.

Nos espaços do Percurso Museológico são expostas peças importantes do património móvel da Santa Casa da Misericórdia de Guimarães, ao mesmo tempo que se abordam, em vários painéis interpretativos dispostos ao longo do percurso, temas ligados à história da Instituição, dos edifícios, dos primórdios da assistência e da saúde pública, das obras e restauros realizados.



A EXPOSIÇÃO

Actualmente, está disponível no núcleo museológico uma exposição que pretende ilustrar as origens e os ícones de mais significado para a Santa Casa da Misericórdia de Guimarães.

É o caso das pinturas com lista de provedores e escrivães que serviram na Misericórdia desde o seu princípio, uma bandeira processional representando Nossa Senhora da Misericórdia e a Visitação, uma escultura de Santo António ou um desenho sobre tecido representando um dos primeiros projectos efectuados para a fachada do novo hospital da Misericórdia, cujas obras se iniciaram em 1861.